Dá o pé louro!

Ana Paula foi eliminada. Isso por si só deveria ter sido um imenso alerta ao povo da casa, principalmente a Sétima Aliança, de que o jogo do trio formado por Diego, Patrícia e Ana Paula não estava agradando ao público. Apostamos muito nisso, familiares dos jogadores apostaram nisso, torcidas apostaram nisso, acredito que até a produção do programa apostava nisso, mas como o confinamento leva a conclusões que jamais entenderemos, após o choque inicial a Sétima Aliança volta a se reagrupar e traçar estratégias.

Diego sofreu muito o impacto da eliminação de sua parceira de jogo. Acredito que ele chegou sim a cogitar se afastar do grupão, fazer um jogo solo com Patrícia e seguir adiante. Mas, talvez por algum mecanismo de defesa, pois admitir que Ana Paula tenha saído por conta do jogo apresentado seria admitir a derrota do próprio jogo, Diego voltou ao velho esquema de traçar estratégias junto com Wagner, Caruso, Viegas, Nayara e Patrícia.

Simplificaram a análise da saída da Ana Paula ao fato de duas torcidas terem se juntado para derrotá-la na votação do público. Colocaram na conta do Mahmoud a indicação da bruxinha ao paredão, imaginaram altas conspirações e estratégias dos demais jogadores fora do grupão, tudo sob a batuta do Mahmoud, inimigo eterno da Ana Paula. E voltaram ao jogo com toda carga, mentindo, tramando, debochando, diminuindo o jogo adversário, colocando em xeque o caráter de seus oponentes. O que antes era feito por Ana Paula e Patrícia, agora temos Diego adotando essa postura. E é aí que reside todo o equivoco do jogo de Diego e Patrícia. O problema não é combinar votos, mas a maneira maldosa, fofoqueira, fantasiosa e mentirosa que eles desenvolvem essa combinação.  Ao perderem Ana Paula, a Sétima Aliança fica capenga de um componente, portanto Diego e Patrícia foram à caça e o alvo escolhido foi Kaysar.

Kaysar vinha fazendo um jogo quase que perfeito. Mostrou uma personalidade extrovertida, chegou disposto a alegrar a casa e distribuir pequenas pérolas de sabedoria. “O importante é ser feliz”, “ devemos perdoar e não guardar mágoas”, “O Brasil é um paraíso”, e por aí seguiam os textos de auto ajuda que tanto encantaram quem assiste o BBB18. A tal ponto que o perfil oficial do programa lançou no Twitter uma publicação com a foto do Kaysar e usando suas opiniões com o título de “Dica de Sabedoria do Dia” ou algo parecido com isso. O espírito era esse, enaltecer as lições trazidas pelo belo sírio para mostrar o quão sábio ele era.

Kaysar era uma espécie de unanimidade. Era quase uma heresia não gostar do Kaysar. Praticamente todas as torcidas trazem o símbolo de seu favorito acompanhado pelo passarinho que é o símbolo da torcida do Kaysar. Dentro da casa, Kaysar não atacava ninguém, era amigo de todos, servia de conselheiro para adversários das mais diferentes torcidas e só votava apenas em um jogador, Viegas. Se tivesse se mantido assim, Kaysar estaria num bom caminho de jogo solo. Não acho que Kaysar seja uma mistura de Cezar Lima e Kleber Bambam, mas acredito que foi buscar na boneca Maria Eugenia uma inspiração para a garrafa com papagaio com quem ele conversa. Até no confessionário no momento da votação, Kaysar leva sua fiel companheira, a garrafa. Não acho que ele lembre o Cezar porque Kaysar interage na casa, estabeleceu laços de afeto com Diego, Patrícia e, principalmente, com Ana Paula. Kaysar não busca o isolamento, mas sim a vida em grupo. Porque é justamente no coletivo onde ele mais brilha.

A saída da Ana Paula foi um momento de inversão para Kaysar. Comentava com Roberto o quanto a saída dela poderia ser benéfica ao jogo do sírio quando Roberto me alertou: não sei, talvez o benefício não seja tanto. Talvez perder Ana Paula possa trazer uma mágoa tão grande que o faça perder o rumo nesse tipo de jogo que ele vem apresentando até o momento. E, se observarmos Kaysar atentamente, seu semblante mudou, perdeu um pouco da leveza que era sua marca registrada. Kaysar acordou para o jogo e isso é um acontecimento importante. Acordar para o jogo não é um possível erro do Kaysar. Tampouco a escolha de seus alvos, essa escolha na verdade é pouco importante. Desde que ele não escolha Mahmoud, o restante da casa está valendo.

O que vai determinar a história do Kaysar a partir de agora é como ele vai lidar com a aliança que ele decidiu abraçar. Porque o jogo da Patrícia e Diego, os responsáveis por cooptar Kaysar, é um jogo que mistura mentiras, maledicências, dissimulação, ou seja, coisas ruins que um jogador de BBB pode apresentar ao público. Escolher esse jogo, e essa aliança em particular, é que foi a grande inversão no jogo do sírio. Porque a partir de agora ele muda sua estratégia por conta da saída da Ana Paula. Ao escolher seus alvos através dessa aliança, Kaysar coloca as diversas torcidas que antes o abraçavam com alegria e peito aberto com o pé atrás. Kaysar pode deixar de ser o queridão de todos e passar a ter adversários reais dentro e fora do jogo.

A grande questão é se ele vai conseguir manter o que ele fez o público acreditar ser a sua essência, a do cara que sofreu e aprendeu na vida a ser feliz. Porque Kaysar estrategista, magoado e ferido, não é necessariamente um Kaysar que vá divertir e encantar o público. A conferir!

Compartilhar o Post
0 comments

Entrar

Siga-nos @DeCaraPraLua

Facebook

Comentários